Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

Rating: 3.6/5 (3617 votos)


ONLINE
4




Partilhe este Site...

Flag Counter

Calendário lunar

 


1º GRAU - AULA Nº 8
1º GRAU - AULA Nº 8

Podemos portanto, agora, entrar com a definição ou o conceito interno sobre as chamadas 7 Linhas da Lei de Umbanda.

 

ESSAS 7 LINHAS OU VIBRAÇÕES ORIGINAIS (OU OS 7 ORIXÁS), SÃO:

 

LINHA ou VIBRAÇÃO ORIGINAL DE OXALÁ ou de Orixalá. 

Que significa: o maior, aquele que está acima de todos os Orixás, sem ser o DEUS, isto é, Olorum, Zamby, Tupan etc. Essa linha é o mesmo que se compreende como a Faixa Vibratória direta do Cristo Planetário - mais identificado como JESUS - e que faz a supervisão das demais, em suas ações envolventes ou de influenciações sobre o Planeta Terra, do qual, Ele, o Cristo Cósmico, é o Regente Direto. Essa Faixa Vibratória faz-se representar diretamente na Corrente Astral e Humana de Umbanda, através das entidades que se apresentam sob a forma de caboclos. Na adaptação popular dos terreiros, diz-se como Linha de Oxalá mesmo. Esses espíritos ou Entidades trabalham muito na magia positiva, com os elementais ou com os ditos como "espíritos da natureza" da corrente eletromagnética SOLAR.

OBS.: Essa Faixa Vibratória dá margem ao entendimento dos menos observadores, para que digam existir na Umbanda uma Linha do Oriente (assim como uma espécie de oitava linha, saindo, portanto, do segredo do Setenário). Essa tal linha não existe na Umbanda. O que há é o seguinte: as Entidades que se apresentam como caboclos, no grau de GUIAS e daí para cima, são espíritos luminares, em missão, dentro da Corrente Astral de Umbanda... Muitos são Magos, foram altos Sacerdotes ou Iniciados dos antigos Templos Orientais etc. Os seus verdadeiros corpos astrais conservam a raiz da última personalidade, isto é, de magos do Oriente, de hindus etc.

 

LINHA ou VIBRAÇÃO DE YEMANJÁ.

Nessa Faixa Vibratória estão situados todos os espíritos que se apresentam na Umbanda sob a forma de caboclas e que estão muito ligadas ou que trabalham dentro da magia positiva, com os elementais das águas ou com os "espíritos da natureza" da corrente eletromagnética LUNAR... Na adaptação popular dos terreiros diz-se como Linha do Povo do Mar, Povo das Águas etc...

 

LINHA ou VIBRAÇÃO DE YORI.

Nessa Faixa Vibratória estão situados todos os espíritos que se apresentam na Umbanda sob a "roupagem fluídica" de crianças e que trabalham muito na magia positiva com os elementais ou com os "espíritos da natureza" térrea e aérea da corrente eletromagnética do planeta MERCÚRIO... Na adaptação popular dos terreiros diz-se como linha das crianças, dos "beijadas", de Cosme e Damião etc...

 

LINHA ou VIBRAÇÃO DE XANGÔ.

Nessa Faixa Vibratória estão situados todos os espíritos que se apresentam na Umbanda sob a forma de caboclos e que trabalham muito na magia branca ou positiva com os elementais ou com os "espíritos da natureza" ígnea e aquosa pela corrente eletromagnética do planeta JÚPITER.

 

Na adaptação popular dos terreiros diz-se como Linha do Povo da Cachoeira, Linha de São Jerónimo etc...

 

LINHA ou VIBRAÇÃO ORIGINAL DE OGUM.

Nessa Faixa Vibratória estão situados todos os espíritos ditos como de "caboclos" e que trabalham muito na magia branca ou positiva com os elementais ou com os "espíritos da natureza" ígnea e aquosa pela corrente eletromagnética do planêta MARTE... Na adaptação popular dos terreiros diz-se como Linha de S. Jorge etc...

 

LINHA ou VIBRAÇÃO ORIGINAL DE OXOSSI.

Nessa Faixa Vibratória estão situados todos os espíritos que na Umbanda se apresentam como caboclos e caboclas e que trabalham muito na magia branca ou positiva com os elementais ou com os ditos como "espíritos da natureza" térrea e aérea pela corrente eletromagnética do planeta VÉNUS... Na adaptação popular dos terreiros diz-se como Linha de S. Sebastião, dos caboclos da mata etc...

 

LINHA ou VIBRAÇÃO ORIGINAL DE YORIMÁ.

Nessa Faixa Vibratória estão situados todos os espíritos que se apresentam na Umbanda sob a "roupagem fluídica" de prêtos-velhos e pretas-velhas e que manipulam muito a magia positiva sob todos os aspectos, inclusive pelas rezas etc., tudo se relacionando com os elementais ou com os ditos como "espíritos da natureza" aérea e térrea pela corrente eletromagnética do planeta SATURNO... Na adaptação popular dos terreiros diz-se como Linha dos prêtos-velhos, Linha de São Cipriano, Linha dos "Cacarucaio", e até como linha das almas - pela interpretação dada nos chamados "candomblés" etc.

 

Essa questão de linhas, no meio umbandista, tem sido o eterno "cavalo de batalha" dos doutores da lei, dos intransigentes e dos de fraco entendimento. Compuseram, arquitetaram linhas a vontade, porém sempre com a cauda prêsa à Igreja Romana. Tanto é, que tôdas as linhas que existem, como ensinamentos nos livros da literatura umbandista, têm santos e santas a granel... Chegaram até a compor linhas, ora com cinco orixás e dois santos, ora com sublinhas de quarenta e nove santos...

 

Qualquer um que já tenha um plano de entendimento não pode aceitar as tais linhas assim... faltam-lhes o sentido oculto, filosófico, científico etc.

 

Então, tenho recebido certas perguntas de alguns dêsses entendidos e com certa ironia, quando perguntam assim: onde o irmão Matta e Silva "arranjou" mais essas duas últimas linhas de YORI e YORIMÁ?... Está faltando nelas S. Jorge, S. Jerónimo, S. Cipriano etc... é de estranhar que nossas "entidades" não falem nelas...

Ora, meus prezados irmãos - "poderosos tatas, sábios babalaôs - vou responder a vocês, contando o caso de um amigo e umbandista de fato, um advogado, pessoa de grande cultura esotérica etc. Tendo êle a graça de receber no seio da família a presença de um legítimo caboclo, pela mediunidade de sua esposa, pôde constatar os profundos conhecimentos dessa entidade a par com a palavra de luz, a caridade etc.

 

Enfim, viu êsse caboclo dizer e fazer coisas extraordinárias. Pois bem, desencarnando a sua espôsa, éle começou a "correr gira", como se diz vulgarmente, na esperança de rever êsse bom amigo caboclo ou quando mais não fôsse, um outro qualquer que suprisse a sua saudade de contato, de esclarecimentos etc... Um belo dia procurou- me. Então? - perguntei-lhe... E êle triste, desolado mesmo, confessou-me: - corri "seca e meca"... falei com dezenas e dezenas de "guias" e nada... Por quê? tornei a indagar... Porque só ouvi bobagens e quando não era bobagem, não diziam nada, porque nada sabiam...  mas, não perdi a crença nos verdadeiros caboclos, prêtos-velhos etc... é como você diz, Matta e Silva: ou é animismo, auto- sugestão ou são êles - os quiumbas, que nada sabem mesmo...

MISTÉRIOS E PRÁTICAS DA LEI DE UMBANDA

2º EDIÇÃO LIVRARIA FREITAS BASTOS S.A.

W. W. da Matta e Silva