Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

Rating: 3.7/5 (3332 votos)


ONLINE
3




Partilhe este Site...

Flag Counter

Calendário lunar

 


1º GRAU - AULA Nº 23
1º GRAU - AULA Nº 23

ROTEIRO PARA SE PROCESSAR UMA SESSÃO DE UMBANDA

 

ABERTURA OU 1.ª PARTE

 1 - Os médiuns devem entrar no salão, disciplinadamente, isto é, em Vibração Cruzada (posição preparatória) (ver a figura) e tomarem suas posições, em círculo, sendo as mulheres à esquerda e os homens à direita.

 

https://images.comunidades.net/umb/umbandadobrasil/Vibra_o_Cruzada.JPG

2 - Feito isso, deve-se proceder a uma palestra, de cunho doutrinário, versando sôbre a moral, os aspectos da mediunidade, sóbre o Evangelho, sôbre qualquer tema, enfim, que auxilie o psiquismo dos médiuns para que possam ir harmonizando as suas vibrações mentais. Deve-se escolher pessoa capacitada para preceder a esse tipo de doutrina ou palestra.

 

3 - Após a palestra - de 5 a 10 minutos - o Dirigente deve mandar desfazer a corrente ou Vibração Cruzada e fazê-los entrar em Corrente Vibrada (ver a figura) a fim de fazer a PRECE de abertura (imprescindível) a JESUS - Diretor do Planeta Terra.

 

https://images.comunidades.net/umb/umbandadobrasil/Corrente_Vibrada.JPG

4 - A seguir, ainda em Corrente Vibrada, procede-se à defumação propiciatória (com benjoim, incenso, mirra, sândalo etc.), debaixo de um ponto cantado, apropriado a essa finalidade. A defumação deve ser feita por pessoa escolhida para isso, de preferência o médium-chefe.

 

5 - Após o defumador propiciatório, faz-se uma saudação falada às Falanges ou aos Orixás e ao Patrono Espiritual da Casa, se houver.

 

6 - Mandar os médiuns desfazer a corrente vibrada. Logo se firma o ponto cantado do Guia-Chefe da Casa ou da Tenda, ou então, se canta o Hino da Tenda.

 

PROSSEGUIMENTO OU 2.ª PARTE

 

7 - Chamada da Falange que vai trabalhar ou, então, os pontos cantados das entidades que, habitualmente, são chamadas para as incorporações.

 

8 - Prosseguimento da sessão, com pontos a intervalos ou segundo a necessidade.

 

9 - Findos os passes e conselhos, agradecimento aos guias e protetores e o ponto cantado para eles subirem ou desincorporarem.

 

ENCERRAMENTO OU 3.ª PARTE

 

10 - Já com os médiuns desincorporados e em Corrente Vibrada, traçar na pemba um triângulo (com um vértice apontado para a porta de entrada) no centro do salão, colocar dentro dele um copo contendo água e sal, cantar um ponto de descarga da falange que se queira e imediatamente se procede à limpeza dos médiuns e do ambiente, com um defumador forte (palha de alho, pinhão-roxo, guiné, arruda etc., em mistura ou simples).

 

11 - Feito isso, procede-se ao encerramento, com agradecimento a Deus, a Jesus e às Entidades de Guarda e a quem mais se quiser. Depois, os médiuns se retiram, desfazendo a corrente vibrada e entrando na VIBRAÇÃO CRUZADA, isto é, conforme entraram, disciplinadamente...

OBS.: Nesse ritual ou Roteiro não foi incluída a questão do "abrir ou fechar" a tronqueira de "seu Exu" como vulgarmente se diz, se entende e se usa.

 

Esse ângulo sôbre o "exu guardião" é algo de muito sério, que implica na ordem que se tenha do "guia-chefe ou guia-espiritual" da Tenda, Cabana ou Terreiro, para ésse fim.

 

Que isso é necessário, é. Ninguém pode dispensar a ajuda de cima tampouco a ajuda de baixo. E cada qual faz ou firma essa "tronqueira" segundo a ordem que recebeu. Todavia, se não houver essa ordem direta, por conta própria não se deve fazer isso se a pessoa não estiver capacitada para tal afirmação.

 

O que não aconselhamos, de forma alguma, é a insensatez que se vê, em muitas "tendas ou terreiros de Umbanda", de "abrir a gira" ou a sessão, primeiro, salvando para Exu. Isso é o mesmo que pôr o carro na frente dos bois.

 

Quem procede assim denota crassa ignorância, ou então é porque seu "terreiro" é pura Quimbanda, está sob o domínio dos exus... pagãos, ou ainda é porque está arraigado a êsse costume (chamado de tradição) próprio dos "candomblés". Portanto, sabem disso e querem assim mesmo. Nesse caso, quem semeia colhe as conseqüências.

 

A "tronqueira" todos sabem é uma espécie de casinhola que costumam armar na entrada do terreiro e onde se oferta ao exu guardião velas, marafa e outras coisas mais.

 

De qualquer forma que o façam, aconselhamos que só firmem a tronqueira de exu, quando terminar a primeira parte da abertura da sessão propriamente dita. É a maneira correta de proceder, segundo a palavra autorizada de nossas entidades verdadeiras - os caboclos, pretos-velhos etc...

 

 

Bibliografia: MISTÉRIOS E PRÁTICAS DA LEI DE UMBANDA

2º EDIÇÃO LIVRARIA FREITAS BASTOS S.A.

W. W. da Matta e Silva